O porquê dos nossos preços?

Desde que sou autónomo nas minhas contas e poupanças, os preços sempre foram algo com muito peso na decisão de comprar seja o que for. Se eu preciso de algo, tenho em consideração o seu custo. Mas durante a minha juventude (denominados casa dos vintes) nunca pensei muito no porquê da diferença de preços em artigos da mesma categoria. “Porque razão este arroz custa o dobro do preço daquele? Vou levar o barato que serve.” Pois serve. Alimenta tanto quanto o outro. Mas este pensamento sempre ficou por aqui.

Mas pensando bem, será que há alguma vantagem em comprar o mais caro? Ou será o mais caro uma “armadilha” para quem não se preocupa tanto com as contas? A resposta é curta: Há diferenças. Diferenças nas características que cada um de nós procura em cada artigo. Voltando ao exemplo do arroz, quem compra só e apenas como alimento, vai de certeza procurar o mais barato. Mas quem compra como ingrediente, procura aquele que mais solto fica, que menos cola, que melhor aspeto apresenta após cozinhado. Se eu procuro um carro “apenas” para ir trabalhar num local que fica a 4km de casa, procuro um carro baratinho, que tenha as 4 rodas e que o motor trabalhe. Mas se o carro que eu quiser comprar tem de ter espaço na mala, motor mais potente para suportar a família numerosa, e ser confortável, o preço vai ser maior por cada uma das características que “exigimos” no nosso novo carro. Em ambos os casos, o preço é de acordo com o que procuramos.

Nos brinquedos não é diferente. Desde que sou pai que o acto de comprar brinquedos tornou-se comum, e fiquei muito mais consciente daquilo que “ofereço” aos meus filhos. Admito que já cheguei a comprar brinquedos dos “chineses”. Paguei uma pechincha…. mas bastou um pé do mais velho para passar a sucata. Desde carrinhos com rodas encravadas, plásticos ainda com arestas afiadas por terem saido dos moldes sem receber tratamento, brinquedos que “só” funcionam nos primeiros dez segundos, já vi de tudo.

Foi por esta insatisfação que me debruçei um pouco mais sobre este assunto dos brinquedos. Afinal, será que os mais caros compensam? Para dar um exemplo, o meu mais velho tem um carrinho da Hot Wheels de corda. Esse carrinho já caiu, foi calcado e até mordido pela cadela inúmeras vezes, e ainda está vivo. Durante a minha investigação, “encontrei” este mundo (perdido mas à vista) dos brinquedos de madeira. E, como seria expectável, questionei-me acerca do preço.

Digo-vos agora o porquê dos preços deste tipo de brinquedos:

1- A madeira usada não é uma madeira qualquer, mas sim oriunda de florestas sustentáveis e certificadas.

2- Os fabricantes certificam-se que usam componentes, pigmentos e ingredientes certificados, não tóxicos e amigos do ambiente.

3- O custo de projetar um único brinquedo é enorme.

4- Certos brinquedos são premiados, fazendo com que o seu preço suba.

5- A logística envolvida até que o brinquedo chegue a casa do cliente é enorme.

6- A durabilidade é largamente superior à dos brinquedos mais baratos.

Ao encomendar um brinquedo ou artigo que seja vendido no Mocho Mestre, está a comprar algo que foi desenhado, feito, e pensado nos mais pequenos. Ao receber um dos nossos artigos em casa, vai perceber melhor aquilo que eu aqui falo.

São caros? Depende do que procura num brinquedo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*
*

BACK TO TOP
Have no product in the cart!
0